Igreja da Misericórdia



Lagoa tem outro templo dentro do seu aglomerado urbano, a Igreja da Misericórdia, edifício cuja data da construção original não é fácil determinar mas que deve recuar à época da Misericórdia de Silves, tendo em conta que Silves foi dada por D. João II à sua Rainha Leonor, passando a pertencer às casas da Rainha. Diz a tradição, que ela teria mandado fundar, ainda em vida, a Irmandade naquela Cidade, cuja Igreja da Misericórdia teria sido erigida por consequência do foral de D. Manuel de 1504. Devido aos evidentes laços entre Silves e Lagoa, onde uma tinha jurisdição sobre outra, é bem provável que a tradição das Misericórdias logo chegasse à então Cidade.

O templo Lagoense, implantado no meio da malha urbana, descobre-se pela amplitude da sua frontaria, rendilhada, com uma coroa em relevo. Lá dentro, ao fundo do corpo único, fica o retábulo do altar, em talha de madeira, obra dos finais do décimo sétimo século, princípio do décimo oitavo. O mesmo se passa com os painéis de azulejos, tipo tapete, que remontam à mesma época.

De interesse e valor artístico, encontramos três belas imagens: a do Senhor Crucificado, no retábulo da capela mor (século XVII) e, de cada lado, a de S. João Baptista e a de Santa Isabel, Rainha de Portugal, ambas do século XVIII. Curiosos são também os painéis-estandartes da Irmandade, com pinturas representativas.